Joao Gomes Realarte
Olhar a arte com olhos de ver. Looking at art with eyes that see.
joao-gomes-escritor-879-748.jpg

Blogue Artes Literárias

Este blogue é dedicado ao pensamento do dia e a vários artigos, sobre variadíssimos temas escritos pelo autor.

Acreditar piamente

O facto de se acreditar piamente em algo, mesmo que tal crença seja movida pela fé que se tem em deus, não quer dizer que assim seja. Um pintor contemporâneo de Leonardo Da Vinci, homem temente a deus (não compreendo porque se há-de temer a deus), pintava mulheres nuas com três seios, embora nunca tivesse visto alguma com tal atributo, mas sim porque acreditava que existiam algures neste mundo. Confrontado pelos seus amigos, que obviamente achavam aquilo um tremendo disparate, ele defendia-se dizendo-lhes que sendo deus verdadeiro, nunca lhe poria, ou nunca permitiria, que algo lhe entrasse no pensamento que fosse falso.

Imaginação

Por mais fértil que seja a imaginação, ela é incapaz de conceber algo verdadeiramente inédito, uma vez que está condicionada ao mundo que a rodeia e não consegue ir para além disso. Dando alguns exemplos: No imaginário colectivo os anjos têm forma humana e são dotados de asas. Que se saiba, a forma humana é deste mundo e as asas também.
Por sua vez, e mais uma vez, deus tem forma humana, e no imaginário colectivo, é um ancião de longas e brancas barbas sentado num trono e com um ceptro na mão (símbolo da realeza neste mundo). Uma vez mais a forma humana a predominar. As barbas também são deste mundo, assim como o trono e o ceptro.
O diabo. Assume várias formas no imaginário colectivo, mas todas elas conhecidas neste mundo. Os chifres, as pernas de bode, a cauda de um qualquer animal, etc,etc.
Actualmente nos filmes de ficção, temos seres alienígenas, com cara de polvo, de louva-a-deus, etc,etc. Tudo coisas deste mundo.